Livros iguais.... Só que não!

00:00 Babi Mac 4 Comments

Caro leitor, como tal, você já enfrentou aquela fase específica, onde procurou livros com temas parecidos? E não estou falando em procurar apenas por gêneros iguais, se trata também de assuntos, título, cenário e até quem sabe o "happy ending" similar entre os dois. 
Se você nunca sentiu isso, um dia chegará sua vez. E se já aconteceu com você, me diga que não estou sozinha nessa! 



Em dezembro tive essa 'crise' para ler livros sobre: amor entre vizinhos. Sim, eu admiti isso publicamente. Mas foi a primeira vez que tive essa experiência e estou realmente impressionada com  a vontade maluca que foi terminar esses livros. Então eis aqui, os livros sobre vizinhos que li ou tentei ler.


O primeiro livro que achei sobre o assunto foi O Safado do 105, da autora brasileira Mila Mander que lançou o livro pela editora Essência. 

Dei 2 estrelas para o livro. As 510 páginas não foram NADA interessantes. Por mais que eu tenha tenrado me interessar pelos protagonistas e todos os personagens, não foi uma boa experiência.
Mas calma, por ser um livro nacional eu me preocupei pelo menos em procurar algo bom dentro dele. E achei. Primeiro: a autora Mila tem muito potencial. Mesmo não estando afim de ler o livro, foi a narração dessa pessoa que me fez ir até o fim. E a mulher é hilária e usou muito bem, mas muito bem as citações da tia Lispector.

No fim, eu não recomendo a  leitura para vocês, mas sei que a Mila só começou, então deixarei as portas abertas. Espero que vocês também *---*

Sinopse: Podia ter sido com você. Mas foi comigo. E, dali em diante, descobri que morar sozinha podia significar tudo, menos tranquilidade. A minha mudança necessária não podia ser normal, afinal, eu não sou normal. Tenho uma família doida que me fez desenvolver distúrbios psicológicos irreparáveis. 
Juro que só queria paz. Queria tédio. Queria um domingo de pura morgação diante do Faustão, comendo pizza requentada e esperando pela segunda-feira como quem espera pela morte. 
Mas não. Nada seria igual e, ao mesmo tempo, seria tão louco quanto. Não podia esperar pelo diferente, não depois de ter conhecido o Sr. Calvin Klein, mais conhecido como o safado do 105.

Wallbanger já foi totalmente diferente. Reli ele duas vezes em inglês e acabei de descobrir que a editora Benvirá o lançou aqui no Brasil. Uhuul!
Dei 5 estrelas para o livro. Até um tempo átras, estava me sentindo meio mal pelo meu favoritismo americano nessa lista, mas depois passou e percebi que meu nacionalismo não fazia sentido já que uma das autoras que mais ano nesse mundo é brasileira #CarinaRissi

De qualquer jeito o livro me encantou, mas foi exatamente por ele não ser igual a outros livros. O cara é galinha? O protagonista está confortável com o "harém" (isso foi um eufemismo) que tem e ao contrário de muitos livros por aí, a protagonista não está nadinha surpresa com esse homem e também durante o livro inteiro ela não pensa algo como: "Ele é galinha mas comigo ele não vai ser. Vou fazer ele mudar e me amar". O que com certeza penso ser ilusão de romances atuais sem nexos.
E aí você me pergunta: Então porque você amou tanto esse livro, Bárbara?
E eu te digo: a personagem é exatamente o tipo de mulher que eu quero ser quando crescer.
Isso foi muito clichê mas foi a mais pura verdade.
Clayton foi incrível com a história e ainda melhor com a história secundária. Os diálogos (minha parte favorita de qualquer livro) foram simplesmente perfeitos. Sensualidade, sedução e amizade equilibrados na medida certa. Sabem, acho que foi isso... Os personagens em primeiro lugar criaram uma intimidade amigável que qualquer pessoa quer. Com ou sem intenções.

Sinopse: A primeira moite de Caroline em seu novo apartamento é uma promessa de que dias e noites agitados virão. Ela não poderia imaginar que dividiria a fina parede do seu quarto com um cara capaz de deixar uma mulher completamente maluca na cama. Aliás, uma não, Caroline já contou pelo menos três gritos e gemidos diferentes. Conviver toda madrugada com a animação do apartamento ao lado deixa Caroline ainda mais afundada na crise sexual que a acompanha há tempos. Mas ela nem sequer pode imaginar que o vizinho que ela abomina talvez seja o único capaz de lhe trazer de volta seus orgasmos. Em Subindo pelas paredes, Alice Clayton mistura humor, paixão e boas doses de sensualidade, capazes de fazer qualquer uma cair de joelhos e se apaixonar.


O amor mora ao lado da autora Debbie Macomber está na minha lista desde sempre. Mas nunca tenho oportunidade para lê-lo. E quando tive chance de comprar, achei o livro super sem graça. Eram 160 páginas que tinham a letra imensas desnecessariamente. Então... está na lista de espera. Mas ainda sim na lista Kkkk
No Skoob a nota média é de 3 estrelas, então imagino aquele romance água com açúcar, sabem? Mesmo assim, quem sabe numa próxima vez?

Então eis aqui a sinopse para vocês se interessarem ou não:
Lacey Lancaster sempre quis ser esposa e mãe. No entanto, depois de um divórcio bastante doloroso, ela decide que é hora de dar um tempo em seus sonhos e seguir sozinha mesmo. Mas não tão sozinha: sua gatinha abissínia, Cléo, torna-se sua companhia de todas as horas. Até é uma vida boa — um pouco aguada, é verdade — a de Lacey. A não ser por seu escandaloso vizinho, Jack Walker.
Quando Jack não está discutindo, sempre em voz muito alta, com sua namorada — com quem insiste em morar junto — está perseguindo seu gato, chamado Cão, pelos corredores do prédio. E Cão está determinado a conseguir que a gatinha Cléo sucumba aos seus avanços felinos. Jack e Cão são realmente muito irritantes.
Mas acontece que a primeira impressão nem sempre é a que fica...


Foi isso leitores (as) queridos (as)
Já passaram por isso que passei? 
Se sim, conseguiram achar o que queriam?
Se não, imagina você nessa situação kkkk
Beijão!

4 comentários:

  1. Oii Bárbara, tudo bem?? Bate aqui porque eu também já passei por isso kkkkk! Mas o meu é por ''distopias'', aquelas que tem destruições e vírus, me empolguei e comecei a ler todos esses tipos de kkkk!

    Abraços =)

    Só Mais Um Palpite

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkk Somos dois então! Bom saber que é normal.

      Abraços *--*

      Excluir
  2. Isso é tão eu Barb! Já fiquei assim por romances que a personagem principal vai morar em outro pais e também por aqueles que o personagem é daquele tipo 'fodão' e depois fica um amor.Sério bom saber que são sou a única nesse mundo! http://meraconfusao.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É bom saber quando não estamos sozinhos nessa. Que bom que gostou!

      Beijinhos Fran *--*

      Excluir

Olá, deixe seu comentário. Eu vou adorar responde-lo.