Li, amei, mas não resenhei #1

16:01 Babi Mac 2 Comments

Olá pessoas! Estou trazendo uma coluna nova aqui para o IL, que foi criada pela blogueira Juh Oliveto do blog Livros e Bolinhos, onde ela resenha um livro que mesmo amando muito, ainda não o resenhou. Achei a ideia super bacana e como vocês podem ver, o título é autoexplicativo.
Mas ao invés de dizer que farei uma resenha completa sobre o livro, digo que vou fazer uma lista de comentários sobre o livro para vocês. Vou explicar a razão....

Eu leio muuito e por isso, todos os dias ideias para futuras resenhas aparecem na minha cabeça. Mas preciso fazer uma confissão: amo fazer resenhas, mas ainda não sei faze-las. Talvez seja medo. Um costume meu, é fazer toda uma preparação psicológica e googlótica - palavra inexiste em nosso dicionário - durante dias, para quando a resenha ser feita, eu ter todos os ângulos críticos do livro (os que eu percebi consciente e os inconscientemente).
Por isso trouxe essa coluna para o blog. Esse espaço vai me dar coragem e mostrar as minhas opiniões sem eu estar preparada (opa) para despejar todo meu amor pelos livros e fazer vocês levarem em consideração a minha opinião k k k k


Então hoje começo falando sobre um livro que amo e que já comentei em muitas tags aqui do blog, mas por medo de não conseguir passar a mensagem certa do quão perfeito ele é para mim, eu sempre acabo deixando a resenha de lado. Talvez no final de tudo, realmente se pareça com uma resenha.

TRONO DE VIDRO - SARAH J. MAAS


Sinopse: Nas sombrias e sujas minas de sal de Endovier, uma jovem de 18 anos está cumprindo sua sentença. Celaena é uma assassina, e a melhor de Adarlan. Aprisionada e fraca, ela está quase perdendo as esperanças quando recebe uma proposta. Terá de volta sua liberdade se representar o príncipe de Adarlan em uma competição, lutando contra os mais habilidosos assassinos e larápios do reino. Endovier é uma sentença de morte, e cada duelo em Adarlan será para viver ou morrer. Mas se o preço é ser livre, ela está disposta a tudo.

Nunca teria lido esse livro se meu namorado não tivesse tido a audácia de mexer onde não devia: meus arquivos em e-books...


Numa volta do litoral sul de São Paulo, eu estava à beira do tédio quando meu namorado (nada leitor) pegou meu smartphone, abriu aleatoriamente todos os 80 e-books que eu possuo e me entregou sua escolha nada premeditada com a capa de Trono de Vidro. 
Eu nem me lembrava deste livro, e não estava afim de começa-lo. Mas por insistência de uma certa pessoa, eu acabei aceitando o desafio. E o mais incrível aconteceu: na viagem de duas horas, eu devorei praticamente o livro inteiro.

Como deu para notar na sinopse, o livro é de fantasia. Mas sou uma pessoa que tem preconceitos com esse gênero. Não me julguem, por favor. Porque querendo ou não, são poucos os autores que me fizeram gostar desse tipo de estória. Mas a autora Sarah J. Maas me fez olhar por um outro ângulo todo gênero. Talvez pela narrativa sensacional, talvez pela protagonista ser feminina, envolvente e independente. 

Celaena (leio Celina) desde o começo se mostrou uma assassina de primeiro porte. Tanto que foi criada para matar pelo Rei dos Assassinos. Dá para ter noção do que ela é capaz com apenas 18 anos, certo?
E mesmo sem matar ninguém nas primeiras cenas, ela se mostra poderosa, dedicada ao seu "trabalho" e focada no seu objetivo: sair da Minas de Sal de Endovier. Uma prisão ao qual quase ninguém sobrevive, e ela consegue por um ano. Olha só!

Logo no começo do livro ela recebe a visita do capitão da guarda real e do príncipe de Adarlan, que fazem a proposta para se ver livre" da prisão e da perseguição que sofre desse reino. Agora Celaena precisa ganhar um torneio contra outros 23 criminosos, assassinos e malucos (por que não, neh) que querem a mesma coisa. Liberdade. E quando um deles ganhar, serão capataz do rei por um determinado tempo, para aí sim, serem 'livres'.

Para tudo isso, ela viverá no castelo de vidro, onde treinará com o capitão da guarda real Chaol, que acaba sendo um personagem fantástico na série, enquanto fica próxima do príncipe Dorian e da realeza.

Toda a trama parece medonha demais? Seria, se a fantasia não estivesse entrelaçada o tempo todo na narrativa, que é sensacional. Mistérios aparecem e Celaena se perde nas suas pré-convicções, ganhando aliados e inimigos durante o percurso de se encontrar.

O livro é 5 estrelas e está marcado como favorito na minha estante. Com certeza recomendo para todo mundo que ama o gênero, ou era como eu que mal se importava com ele. Sarah escreveu um livro sensacional do inicio ao fim, leiam!

Espero que tenham gostado.
Beijos *--*

2 comentários:

Olá, deixe seu comentário. Eu vou adorar responde-lo.